terça-feira, 21 de maio de 2013

2

Desabafo do Louco

É pelo constante uso da imaginação que a loucura vem a tona, a realidade perde a saturação... Cor? Onde... nas propagandas e nos letreiros? A vá? Tudo é lógico, não vês que tu tens uma síndrome? Não vês que tu és louco? Não vês que este solo está cheio de sangue derramado? Ah não... não vê... Vê apenas um gélido corpo... Anunciando a praga prevista... Vê apenas a morte se multiplicando em esquinas... Na verdade... você vê isso?
A miséria vota em sua própria miséria... Ô infelicidade é a cegueira... não nos deixa ver um palmo a nossa frente... ô Breu da morte... Ranca-lhe o coração e lança-te, mais cego ele é do que a ti... Corre... Chora...
Vai! Grita! Quem te ouve?

Não, Não... você que leu isso tudo esqueça... Louco sou eu... devo ver de mais, ou não ver nada...
Amor? que isso? quem sabe o que é isso?
Vai! inventa coisas, coisas que não existem.... Inventa o que não é... pra ser e o não ser... ser a questão...
Vai logo... entrarei em meu guarda-roupa... Nárnia me aguarda, entrarei na minha Batcaverna e irei voando na Mark 43...

2 comentários:

  1. Incrível. Como sempre! Já estava com saudades de ser seus textos lúdicos, em mundos incompreensíveis. AMEI!

    ACESSO PERMITIDO. :3

    ResponderExcluir